Como funciona o algoritmo do Google?

Veja como funciona o algoritmo do Google e aplique-o em seu negócio para aumentar a visibilidade de suas páginas web!Conhecer e trabalhar com o algoritmo do Google é essencial para todos os empreendedores de todos os segmentos de mercado. O Google é a empresa que domina os acessos nos ambientes digitais, além de ter acesso a aos hábitos de consumo dos usuários.

Portanto, saiba agora como funciona o algoritmo do Google e se destaque no mercado, vendendo mais e atraindo clientes!

O que é o algoritmo do Google?

O algoritmo do Google é um sistemas de computador que procura e localiza respostas corretas para as buscas realizadas pelos usuários.

Ou seja, o algoritmo do Google é o responsável por apresentar os sites e conteúdos quando uma pesquisa é realizada em seu buscador.

Esse algoritmo deve ser constantemente atualizado e otimizado para que as respostas que o Google entrega ao usuários sejam cada vez mais exatas. Portanto, ele é atualizado no mínimo uma vez por dia, mas é possível que ocorra mais de uma atualização diariamente.

E os Google Bots?

Os Googlebots também são programas de computador responsáveis por rastrear as páginas da internet. Criados pelo próprio Google, os bots – apelido de robots – rastreiam cada página através de links que aparecem a partir de uma pesquisa feita no Google.Os robôs do Google rastreiam as páginas da web através das URLs, a partir de uma pesquisa realizada pelos usuários da plataforma!

Vale lembrar que os Google Bots são os robôs criados apenas pelo Google. Outros buscadores possuem seus próprios robôs. Os Bing Bots, por exemplo, são robôs do buscador Bing, criado pela Microsoft. Já o Yahoo possui os Yahoo Bots. Entretanto, apesar dos nomes serem diferentes, o funcionamento deles possuem mais semelhanças que diferenças!

A partir disso, esses links serão incorporados ao catálogo do Google. Ou seja, serão indexados – vamos explicar esse termo de forma completa ao longo do texto.

Esse catálogo do Google, também chamado de índice do Google, trabalha como um banco de dados dos mecanismo de busca do Google.

Nesse índice é possível encontrar as informações que os bots conseguiram extrair dos sites que visitou. Dentre as informações estão:

  • URL;
  • Título;
  • Conteúdo (apenas em formato de texto);
  • Trabalho de SEO.

Já que a internet se trata de bilhões de páginas, como os bots conseguem percorrer todas?

O Google mantém inúmeros bots funcionando constantemente e simultaneamente em diferentes computadores. Ou seja, os bots estão sempre trabalhando em conjunto para conseguir percorrer muitas páginas e captar o máximo de informações relevantes possível!

Como funciona o algoritmo do Google?

No início a internet era apenas um local online com páginas perdidas e misturadas, onde era difícil encontrar alguma coisa com rapidez.

Portanto, os mecanismos de busca surgiram para facilitar a vida dos internautas. 

Com o algoritmo do Google, as páginas web passaram a ser indexadas, simplificando a busca por informação.

Entretanto, como as primeiras versões dos algoritmos do Google trabalhavam com fórmulas de ranqueamento simples, era bem fácil conseguir fraudar resultados. E foi assim que surgiram os black hats.

Para manter a experiência do usuário em constante otimização, os buscadores tiveram que encontrar formas de encontrar e eliminar tentativas de fraudes.

A partir disso, o algoritmo do Google se aprimorou, tornando-se mais complexo e exato!

Sendo assim, o algoritmo do Google compreende e organiza o conteúdo da internet a fim de apresentar os melhores resultados para as pesquisas realizadas!

Para que isso funcione, o algoritmo do Google trabalha com três etapas! Veja quais são essas etapas e quais os objetivos de cada uma delas!

Rastreamento

Durante o processo de rastreamento, os robôs do Google vasculham a internet constantemente. Eles buscam URLs para realizar a indexação no banco de dados.

O algoritmo do Google rastreia as URLs das páginas web, verificando-as para realizar a indexação delas no Google.Dentro das páginas existem links para outras páginas, que também serão percorridas pelos bots.

Sendo assim, o primeiro objetivo da implementação da estratégia de SEO deve ser relacionada à visualização. Seu site deve ser encontrado. Portanto, é necessário apresentar conteúdos que os bots possam ler e realizar a indexação.

O que queremos dizer com “conteúdos que os bots possam ler”?

Os bots não conseguem ler conteúdos que não possam ser rastreados, como por exemplo, os conteúdos em flash.

Portanto, desenvolva sites com códigos HTML, que possam garantir que o seu conteúdo possa ser rastreados e analisado pelos rastreadores.

Indexação

Após o rastreamento, a próxima etapa é a de indexação. Assim como o rastreamento, a indexação é realizada de forma constante.

Depois de rastreadas, as URLs podem ser enviadas ao banco de dados do Google. A partir disso, o objetivo do algoritmo do Google torna-se estruturar os conteúdos segundo o que apresentam ao usuário.

Para que a indexação ocorra de forma efetiva, os bots realizam a análise das páginas como se elas fossem formadas de apenas conteúdo textual.

Portanto, dê ênfase às palavras-chave de seu negócio!

São esses termos chave que direcionam a estruturação do índice de URLs do buscador. Sendo assim, a partir de uma pesquisa realizada por um usuário, ele irá saber quais termos chave são mais relevantes à essa busca!

Ranqueamento

Após o rastreamento e a indexação, chegamos na última etapa: o ranqueamento.

O ranqueamento acontece toda vez que um usuário realiza uma busca em um buscador, como o Google, por exemplo.

A partir desse termo de busca, o algoritmo do Google analisa todos os conteúdos do índice de dados e apresenta os resultados mais relevantes à busca. Assim, os conteúdos mais relevantes para cada busca aparecem nas primeiras posições do Google.

Ou seja, os conteúdos que ocupam as primeiras posições da página do buscador são as mais relevantes para a dúvida do usuário – segundo o Google.

Além disso, o ranqueamento é a principal etapa em que o SEO é trabalhado. E todo mundo quer maior visibilidade para os usuários e consumidores. Afinal, melhor ranqueamento significa mais visibilidade. 

Principais atualizações do algoritmo do Google

Para que você aprenda ainda mais sobre o algoritmo do Google, é importante conhecer as atualizações realizados pelo buscador. Como você já sabe, os Google Bots são constantemente atualizados. E, assim como os bots, o algoritmo também é atualizado.

O algoritmo foi otimizado a cada atualização, visando aprimorar a experiência do usuário.A atualização do algoritmo do Google resultou na otimização da experiência dos usuários!

São aproximadamente 500 atualizações por ano. Portanto, é essencial estar atento às mudanças para não perder oportunidades de otimizar suas páginas!

Além disso, a cada atualização o algoritmo se torna mais exigente. Ou seja, se um site não segue os parâmetros definidos pelo Google, os bots conseguem detectá-los e eliminá-los.

Por meio da IA (Inteligência Artificial), é possível até mesmo antecipar os propósitos de cada usuário durante as buscas realizadas no buscador.

Sendo assim, confira agora as principais atualizações do algoritmo do Google!

Panda – 2011

Sendo a primeira atualização do algoritmo do Google, lançada em 2011, a Panda causou forte impacto no mercado de SEO. A partir disso, inúmeros sites tiveram seus ranqueamentos afetados e rebaixados. Cerca de 12% dos resultados das buscas foram afetados.

A atualização Panda chegou com uma novidade: penalizar páginas que possuíam conteúdos de baixa qualidade.

Dentre esses conteúdos estão:

  • Keyword stuffing (acrescentar em um texto um grande número de palavras-chave que não coincidem com o tema ou que se tornam excessivas);
  • Conteúdo duplicado;
  • Conteúdo não original (copiado);
  • Sites e páginas com pouco conteúdo;
  • Sites e páginas com publicidade em excesso;
  • As chamadas Fazendas de Links (sites que visam gerar muitos backlinks.

A partir dessa atualização, os bots do Google conseguem detectar esses erros nas páginas web, penalizando-as e reduzindo seus ranqueamentos.

Penguin – 2012

A segunda atualização do algoritmo do Google chamada Penguin, lançada em 2012, afetou 3% dos resultados das buscas em inglês. Além disso, outras pequenas atualizações afetaram a SERP (Páginas de Resultados de Busca).

Com essa atualização, o Google visava evitar práticas como a “black hat“. Essa prática se trata de uma super otimização, ou seja, sites que realizam bem mais do que as práticas de SEO.

Assim como a atualização Panda, a Penguin visava também penalizar sites que não seguiam o padrão da empresa ou que tentavam enganar o algoritmo do Google.

Hummingbird – 2013

A atualização de 2013, nomeada Hummingbird, não teve tanto foco em penalizar páginas, como as duas apresentadas acima.

O foco principal da Hummingbird é aprimorar resultados. Sendo assim, a partir dessa atualização, os sites não precisavam trabalhar apenas com a correspondência exata de palavras-chave.

Ou seja, as páginas poderiam utilizar de sinônimos e termos similares à palavra-chave da empresa. 

Além disso, a partir do histórico de pesquisas do usuário, o Google já era capaz de antecipar a busca do usuário. Portanto, o buscador apresentava os resultados exatos e relevantes para cada pesquisa realizada.

O principal objetivo dessa mudança foi evitar erros de busca. Se alguém pesquisasse pelo esporte tênis, por exemplo, resultados sobre tênis de corrida, tênis de caminhada, tênis social, etc, não seriam apresentados ao usuário.

Portanto, a experiência do usuário foi otimizada ainda mais!

Pigeon – 2014

A atualização do algoritmo do Google chamada Pigeon, lançada em 2014, visava otimizar resultados de uma busca local. Portanto, a localização do usuário passou a ser considerada.

A partir disso, resultados de empresas próximas ao usuário passaram a ser apresentadas.

Portanto, se alguém realizasse uma busca por uma sorveteria, as páginas de sorveterias localizadas no mesmo bairro e região que o usuário eram apresentadas para ele (a).

Isso fez com que os sites e páginas de pequenos negócios se tornassem mais relevantes e mais acessadas!

Mobilegeddon – 2015

A atualização de 2015 chamada Mobilegeddon, teve como principal foco os resultados mobile – como o próprio nome já diz -, para dispositivos móveis.

A partir disso, os sites Mobile Friendly, ou seja, sites responsivos para dispositivos móveis, receberam maior relevância através de pesquisas realizadas em tablets e smartphones.

Assim, sites com rápida e boa adaptação em dispositivos móveis, ajudavam a otimizar a experiência do usuário ainda mais!

RankBrain – 2015

A atualização RankBrain é basicamente uma evolução da Hummingbird. Lançada também em 2015, essa atualização otimizou ainda mais a compreensão das intenções de busca dos usuários.

Com o uso da Inteligência Artificial e da técnica de Machine Learning, essa otimização se tornou ainda mais precisa!

A partir disso, os resultados apresentados aos usuários tornaram-se ainda mais exatos, aprimorando a experiência dos usuários e consumidores na internet.

Como trabalhar o algoritmo do Google para otimizar seus negócios?

Conforme você já sabe, os bots do Google estão em constante atualização, recebendo melhorias a fim de ajudar você a se posicionar melhor no Google. A partir disso, suas páginas web irão atrair uma maior quantidade de leads!

Portanto, conheça agora as dicas que a BeeStart preparou especialmente para que você possa implementar em seus negócios!

1. Antecipe a finalidade da pesquisa dos usuários

Antecipar o que seus clientes e leads irão pesquisar no Google pode ajudar você a otimizar o seu negócio!

É imprescindível conhecer seu publico-alvo, seus hábitos de consumo, seu comportamento na internet, etc, a fim de atendê-los de forma efetiva!O primeiro passo para realizar essa estratégia é conhecer o seu público-alvo. Ou seja, quem é o seu cliente? Portanto, para isso, é interessante criar uma persona para sua empresa. Assim, você passará a conhecer bem o seu público-alvo para aprimorar seu relacionamento e sua comunicação com ele!

O segundo passo é aprofundar seus conhecimentos nos hábitos de pesquisa de seu público-alvo. O que seus clientes buscam no Google? Quais palavras-chave eles (as) utilizam? Eles (as) realizam mais uma pesquisa por voz no Google ou de forma tradicional?

Um estudo feito pelo Google apresentou uma forte tendência dos usuários no campo de pesquisa: as buscas estão se transformando em conversas!

Ou seja, os usuários estão conversando com o buscador quando perguntam:

  • Como vender meu celular?
  • Onde investir meu dinheiro?
  • Meu cartão funciona nos Estados Unidos?

Além disso, grande parte dos usuários buscam por informações personalizadas para ele ou ela.

  • Cafeteria mais perto de mim;
  • Melhor pacote de férias para mim;
  • Festivais na minha cidade.

A partir disso, você irá conhecer a atuação de seus clientes e potenciais clientes no ambiente digital. Assim, você poderá otimizar sua estratégia de SEO!

2. Transmita segurança para os usuários

Como o foco das pesquisas e do algoritmo do Google se tornou os usuários, você também deve se preocupar com isso!

Suas páginas web devem ser seguras para a navegação dos usuários. No entanto, apenas isso não é suficiente.É essencial realizar os procedimentos de segurança de suas páginas e mostrar aos usuários que seu site é seguro para ser acessado.

Além de torná-las seguras, você deve fazer com que os usuários saibam que navegar em seu site é seguro!

Desde o ano de 2014, o Google já realizava mudanças com foco na segurança, estabelecendo a importância de adaptação dos outros sites. Esse fator de segurança tornou-se ainda mais necessário após a crise de dados do Facebook em 2018. 

Portanto, modifique suas páginas para que fiquem completamente seguras para os usuários. Além disso, faça com que eles saibam que elas são seguras, para que você não perca acessos devido a isso!

3. Trabalhe além da redução de cliques em resultados orgânicos

Cada vez mais o CTR orgânico (taxa de cliques em resultados orgânicos da busca no Google) está diminuindo. Grande parte dos cliques dos usuários vão diretamente para resultados pagos, como os Links Patrocinados, por exemplo.

Esse fato é um pesadelo para os profissionais de marketing, tanto os da área de social media quanto de SEO. Afinal, os resultados orgânicos são o principal objetivo desses profissionais.

No entanto, o maior problema não é o aumento de cliques nos resultados pagos e, sim, o fato de que os cliques orgânicos estão desaparecendo.

Com a evolução constante da atualização RankBrain, o Google passou a entender que seus usuários procuram e entregam soluções prontas e instantâneas na SERP.

Portanto, determinadas pesquisas aparecem na mesma página onde a busca é feita. Se você digitar dólar hoje, por exemplo, você não precisa mais apertar o botão para pesquisar e muito menos abrir determinadas páginas para verificar essa informação. O resultado irá aparecer para você na barra de pesquisa do Google.

Assim como a cotação de uma moeda, outras informações como a previsão do tempo, nomes de presidentes e políticos relevantes na mídia, jogos de futebol, etc, também são mais facilmente acessadas! Veja os dois exemplos abaixo de como essa nova estratégia funciona!

Sendo assim, como trabalhar além dessa redução de cliques?

Apesar de ser uma atualização bastante interessante para os usuários, ela significa a diminuição de seu tráfego orgânico.

Entretanto, ainda sim existem algumas formas de manter o seu tráfego em constante crescimento:

  • Dê ênfase nas palavras-chave de cauda longa;
  • Quando planejar seus termos chave, foque nas que têm altas taxas de cliques na SERP e não somente no volume de buscas que ela possui;
  • Invista em rich snippets para atrair o usuário a clicar em seu link.

Portanto, apesar da redução dos cliques orgânicos, é possível superá-la e continuar atraindo clientes!

4. Mobile First

O Google já dá preferência para páginas web adaptadas a dispositivos mobile, já que esse tipo de acesso é o mais recorrente.Como você leu nesse conteúdo, a atualização Mobilegeddon fortaleceu ainda mais melhorias e otimizações para dispositivos móveis.

Portanto, como você já sabe, o Google preferencia sites que priorizam a experiência dos usuários que pesquisam através de dispositivos mobile. 

Por isso, em 2018 o Google criou e implementou o mobile-first index: a nova atualização que indexa o mobile primeiramente!

Sendo assim, é essencial não só adaptar os projetos para dispositivos móveis mas, sim criar projetos já com foco em dispositivos móveis.

Além de ser uma questão que afeta o SEO, o Mobile First é também uma das tendências de Design para 2019.

5. Deixe seu site mais rápido

Como você já sabe, os usuários buscam, cada vez mais, rapidez e agilidade. Isso significa que se um site for acessado e a página demorar a carregar, o usuário não irá esperar.

Mesmo que seu site seja o primeiro colocado em uma determinada pesquisa no Google, se ele demorar a apresentar seu conteúdo, o usuário irá provavelmente voltar ao buscador e acessar outra página web.

O Google se preocupa bastante com essa questão de velocidade, já que ela afeta a experiência do usuário.

Portanto, foi-se criado o projeto AMP – Accelerated Mobile Pages. Esse projeto visa apresentar melhor carregamento para o usuário.

E como ele funciona?

Os sites e blogs que fazem parte do AMP, recebem aumento da taxa de cliques nos resultados orgânicos (CTR). Isso acontece porque os links são evidenciados na SERP.

Assim, o usuário pode acessar essas páginas com maior rapidez, tendo acesso ao seu conteúdo e reduzindo as taxas de rejeição de suas páginas.

Além disso, existe outra medida a ser considerada. Existem mais de 200 fatores com relação ao ranqueamento no Google. E a velocidade já se tornou um desses fatores, principalmente para as pesquisas mobile.

Portanto, verifique a velocidade de carregamento de seu site! Com um teste de velocidade do Google, é possível verificar também a perda aproximada de usuários devido ao tempo de carregamento.

Após isso, trabalhe para que suas páginas web sejam carregadas com rapidez!

6. Invista na responsividade de suas páginas

A responsividade é uma consequência dos dois temas apresentados acima. Portanto, sites Mobile Friendly são essenciais mas não desconsideram a importância de acessos desktop!

Sendo assim, fazer com que seu site seja adaptável em todos os dispositivos é fundamental para o sucesso de seu negócio!

7. Otimize a estrutura de suas páginas

A estrutura do seu site é o que faz com que todas as dicas acima sejam úteis e eficazes. Se um usuário acessa seu site e não consegue encontrar as informações que ele procura, ele (a) provavelmente irá deixar a sua página.É fundamental trabalhar a estrutura de seu site a fim de otimizar a experiência do usuário, mostrando ao algoritmo do Google que seu site se preocupa com os visitantes e usuários.

Portanto, estruturar as informações e dados importantes em seu site para que sejam encontrados facilmente é essencial.

É importante trabalhar bem a intenção do usuário, tornando a página mais intuitiva. Ou seja, uma página na qual o usuário não precisa pensar muito para encontrar o que precisa.

Se alguém entrasse em seu site, o que ele (a) provavelmente faria? Qual seria sua sequência de cliques ao longo da página?

Uma dica que damos a você, é trabalhar conteúdos e informações em estruturas lógicas. Utilize títulos, subtítulos, imagens, listas e gráficos que segmentam a informação de forma mais clara.

Veja o site da Apple, por exemplo. A barra de menu possui todos os produtos Apple, com as informações de cada produto em cada respectiva página.

Se você buscar informações sobre um iPad, por exemplo, todas as informações desse produto estão concentrados na página apple.com.br/ipad. Portanto, além de concentrar as informações, a URL também é intuitiva!

Isso otimiza fortemente a experiência do usuário, além de agregar valor ao seu negócio!

Outra dica que damos a você, é trabalhar a arquitetura da informação. Essa estrutura diz respeito à ordem de informação. Ou seja, informações mais importantes devem ser mais visíveis e acessadas!

A arquitetura da informação é bastante utilizada por profissionais de design, principalmente Designers UI/UX! Se você deseja conhecer mais sobre essa técnica, veja o vídeo abaixo!

8. Seja referência em um determinado assunto

Ao trabalhar a estratégia de backlinks (troca de links), o Google entende que você é referência no assunto que foi linkado para seu site. Ou seja, se vários sites definem links para uma postagem de seu blog sobre Branding, o Google entende que seu site é autoridade sobre esse assunto.

Para receber um grande número de backlinks, você deve criar conteúdos relevantes e de qualidade.

Assim, quando um usuário pesquisar sobre um assunto que você apresenta em seu site, o algoritmo do Google passa a apontar o seu site como referência. Portanto, o algoritmo do Google tem confiança de que seu site terá a resposta que o usuário deseja encontrar!

Como trabalhar os links em meu site?

Uma dica interessante, é utilizar uma boa quantidade de links internos dentro de seus conteúdos. A partir disso, o Google percebe que há conexões e hierarquia em seus artigos.

Entretanto, para que essa dica seja efetiva, seus conteúdos devem realmente ter conexão. Tenha esse texto em mente como exemplo. Quando apresentamos o tópico 4, sobre o fator Mobile First, colocamos um link interno para nosso conteúdo sobre as tendências de Design para 2019.

Um empreendedor que deseja se adaptar às tendências do mercado para otimizar sua atração de clientes, após ler o tópico 4, entende que Mobile First é uma mudança essencial. Entretanto, além dessa mudança, existem outras que devem ser consideradas. Afinal, apenas adicionar o Mobile First ao seu site não significa que você irá atrair mais clientes. 

Todas as tendências devem ser implementadas, para, conjuntamente, otimizar suas páginas!

Sendo assim, não desperdice links internos apenas para mostrar quantidade. Isso é visto pelo algoritmo do Google, impactando seu ranqueamento e afetando negativamente a qualidade de seu conteúdo.

Utilize links internos para complementar e agregar mais informação à busca de seus clientes e leads.

Portanto, agora que você já conhece o algoritmo do Google, você tem grandes oportunidades de adquirir mais clientes e aumentar as vendas de seu site. Além disso, a partir do algoritmo do Google, você otimiza a visibilidade de seu blog, Landing Page ou site!

Quer aumentar ainda mais a visibilidade de sua empresa? Então leia nosso conteúdo sobre como anunciar no Google Adwords?

[Total: 0    Média: 0/5]